LITORAL do PARANÁ

Aqui você encontra informações sobre as cidades e praias do litoral paranaense.

Pesquisa personalizada

Antonina

História de Antonina

Os primeiros moradores de Antonina chegaram por volta de 1646, mas oficialmente a cidade só foi fundada em 1714. Antonina situa-se na Baía que leva o mesmo nome, na parte em que o mar mais avança dentro do continente, com uma área de 1.010km². Seu porto, o Barão de Teffé desempenhou papel importante na economia do Estado durante o ciclo da erva mate do Paraná e hoje está reativado, dispondo para a exportação os Terminais Portuários da Ponta do Félix. O legado arquitetônico da época da sua fundação ainda estão presentes no traçado da cidade e nas antigas construções localizadas por todo o município.

Arquitetura de Antonina

A maioria dos aspectos históricos de Antonina pode ser lido na sua paisagem arquitetônica, nas ruas estreitas e calçadas com paralelepípedo, na população que conserva suas tradições culturais e religiosas, sobrevivendo ainda a arquitetura luso-brasileira dos primeiros anos, edificada em pedra.

Do segundo períoso, fase áurea da história local, permaneceu a arquitetura eclética e a arquitetura romântica, caracterizada pela forma do telhado, com cumeeira perpendicular a fachada, utilizando o sotão, uso da camaninha e ornamentação de beiral (lambrequins).

Os primeiros anos de Antonina

O sesmeiro da Nova Vila de Paranaguá e Capitão Povoador Gabriel de Lara, concedeu em 1645 as três primeiras sesmarias nas encostas da enseada de Guarapirocaba a Antonio de Leão, Pedro Uzeda e Manoel Duarte. Os três são ocnsiderados os fundadores de Antonina, embora apenas em 1713 o local em que se ergue a cidade passasse a ser habitado. Naquele ano, o Capitão-mor João Rodrigues França, último governador da Capitania de Paranaguá, concedeu ao sargento-mor Manoel do Valle Porto a Sesmaria da Graciosa. A frente de inúmeros trabalhadores escravos, Valle Porto erigiu a sua fazenda e dedicou-se ao trabalho de mineração.

Nas proximidades da fazenda moravam duas irmãs que possuíam uma venerada estampa de Nossa Senhora do Pilar a quem prestavam fervoroso culto. Todos os anos, em agosto, para homenagear a Santa, elas promoviam várias celebrações de cunho religioso. Em 27 de agosto de 1797, por uma provisão do governador-geral da Capitania de São Paulo, a antiga localidade denominada Freguesia de Nossa Senhora do Pilar da Gracisoa foi elevada à categoria de vila com o nome de Antonina, em homenagem ao Príncipe da Beira, Dom Antonio, segundo filho de Dom João e D. Carlota Joaquina. Dom Antonio viria a falecer em 1801, com seis anos de idade, vitimado pela varíola. No dia 6 de novembro de 1797 o governador geral Manoel Lopes da Silva Branco reuniu a nobresa e o povo em geral da ainda fregueisa, para assistir ao ato solene que marcava a ereção da vila com o levantamento dopelourinho, símbolo da justiça, e a labratura do auto. No dia seguinte foi realizada a primeira eleição para a constituição da Câmara, que foi solenemente instalada em 14 de janeiro de 1798.

Ciclo do Ouro em Antonina

Rica em mitos, ANTONINA começou sua história no século 17, comk o Ciclo do Ouro, para onde aportaram aventureiros sequiosos pelo metal que abundava na região. Antes que corresse a notícia da descoberta de ouro nas terras entre o Pico Paraná e a baia de Antonina, que tinha o nome de Guarapirocaba, o sergento-mor Manoel do Valle Porto desembarcou na região com um numeroso grupo de escravos, iniciando o trabalho de mineração, formando assim o povoado. Em 1797, Guarapirocaba, então fregueisa de Nossa Senhora do Pilar da Graicosa, possuia 2300 habitantes, entre os quais agricultores, mineradores e banbidos de todas as espécies.

Atos de violência e barbaridades de todo o tipo eram práticas comuns nessa época. Por causa disso, por ser distante de Paranaguá, e a nobreza capelista (0s que viviam em torno da Capela N. S. Pilar) pediram ao governador de São Paulo, Antonio Manoel da Costa e Mendonça, a elevação da fregueisa em vila, o que foi atendido através da portaria de 29/08/1797. Em 6/11/1797 foi realizada a solenidade de instalação. Daí em diante, todos os paéis públicos teriam o timbre de Vila de Antonina, em homenagem ao príncipe D. Antônio.

Fonte: https://www.e-prefeituras.pr.gov.br/sites/prefeitura/antonina/conheca01.html

Características e informações gerais sobre Antonina

População (2000)

Urbana: 15.814 hab.
Rural: 3.332 hab.
Total: 19.146 hab.
Taxa de Crescimento Anual Total: 1%

Distâncias

Curitiba 77Km
Paranaguá 48 Km
Aeroporto mais próximo: 76 Km

Dados Geográficos

Área: 845,853 Km²
Altitude: 5m
Latitude: 25º 06' 00'' Sul
Longitude: 48º 43' 00'' Oeste de Greenwich

Clima

Tropical Superúmido, meses mais quentes (temperatura média superior a 22ºC)
meses mais frios isentos de geadas (temperatura média superior a 18º)
sem estação seca.

Sua empresa está de fora desta lista? Encontrou alguma informação incorreta? Quer complementar as informações de sua empresa? Fale Conosco.

Pesquisa personalizada
2019 PraiasLitoralParana.com.br - Veja também: Praia Brava Itajaí | Praias de Santa Catarina